Sorry, this entry is only available in Brazilian Portuguese. For the sake of viewer convenience, the content is shown below in the alternative language. You may click the link to switch the active language.

Ostomia é o procedimento cirúrgico que desvia o fluxo intestinal ou urinário por meio de uma abertura na parede abdominal. A partir dessa mudança, é necessário passar a usar uma bolsa coletora para fezes ou urina, que fica acoplada ao corpo o tempo todo.

 

Os principais tipos de ostomias são:

     _Colostomia: desvia o fluxo do intestino grosso. É necessária quando o paciente apresenta problemas que o impedem de evacuar normalmente pelo ânus. As colostomias podem ser classificadas de acordo com a parte do intestino grosso em que o estoma é criado. Saiba mais sobre colostomia aqui.

     _Ileostomia: liga o intestino delgado ao meio externo. As fezes de uma ileostomia são mais líquidas e ácidas do que as eliminadas por uma colostomia. A ileostomia é realizada em situações em que a passagem das fezes pelo intestino grosso está impedida. Nesse post falamos mais sobre ileostomia.

     _Urostomia: desvia o fluxo urinário. Os condutos urinários são exteriorizados pela parede abdominal e a urina passa a ser eliminada constantemente por gotejamento. Saiba mais sobre urostomia nesse post.

 

Estoma temporário e estoma definitivo

 

Estoma temporário x estoma definitivo

A ostomia pode ser uma condição temporária ou definitiva, dependendo do motivo e das características do ostomizado.

     _Estomas temporários: são realizados quando é necessário evitar a passagem de fezes ou urina por um determinado período, como em casos de cirurgias. É preciso interromper o fluxo intestinal ou urinário até que o local operado esteja completamente cicatrizado. Em um caso de tratamento de câncer no reto, por exemplo, o estoma é fechado logo após a cicatrização da cirurgia e, então, a pessoa volta a evacuar normalmente pelo ânus.

     _Estomas definitivos: como o nome já diz, são usados quando é necessário manter a ostomia por toda a vida. É indicada quando não é mais possível manter a função normal do intestino ou quando a ostomia proporciona mais qualidade de vida à pessoa, como em casos de Doenças Inflamatórias Intestinais (DII).

 

Motivos que levam à ostomia

Diversos motivos podem levar à necessidade de criação de uma ostomia, mas os principais são:

     _Câncer e tumores

     _Perfurações no abdômen (acidentes de trânsito ou com arma branca ou de fogo)

    _Má formação congênita

     _Doenças crônicas (Retoculite Ulcerativa, Doença de Crohn…)

     _Inflamação crônica

 

Como é o aspecto do estoma?

Logo após a cirurgia, é normal que o estoma fique inchado, mas essa característica deve diminuir com o passar dos dias.

Para ser saudável, um estoma deve ter tonalidade vermelha ou rosada. A pele periestoma deve ser lisa, sem lesões ou ferimentos.

Por não conter terminações nervosas, o estoma não dói ao ser tocado. Porém, ao limpá-lo, podem acontecer pequenos sangramentos. Fique tranquilo! Isso é normal desde que o sangramento sesse naturalmente. Caso o sangramento não pare espontaneamente, o médico deverá ser avisado imediatamente.

 

Estoma de colostomia

O Spray de Barreira protege a pele periestoma

 

É ostomizado ou conhece alguém que usa bolsa de colostomia ou ileostomia?

Conheça o Gelificador para Bolsas de Estomia, que aromatiza o conteúdo armazenado pela bolsinha (fezes) e devolve a autoestima do ostomizado.

COMMENT THIS PUBLICATION