Enfermeiro, especialista no tratamento de lesões de pele, indica os primeiros cuidados e tratamentos em casos de queimaduras

Queimaduras são lesões na pele que, em alguns casos, podem ser muito graves e de difícil tratamento. Existem diferentes graus de lesão e diversas causas que podem provocar um acidente envolvendo queimaduras, no entanto, é preciso estar sempre atento aos primeiros cuidados em caso de acidentes mais graves e, também, ao tratamento das lesões mais profundas.

 

De acordo com o Antônio Rangel, enfermeiro, responsável técnico da Membracel (membrana regeneradora para tratamento de feridas) e especialista nas áreas de tratamento de feridas e podiatria clínica pela PUC-PR e pela UNIFESP, as queimaduras devem sempre ser avaliadas por profissionais médicos ou enfermeiros. “Algumas lesões podem comprometer tecidos nobres, como músculos, tendões, articulações e ossos, por isso é necessária a avaliação de um profissional habilitado, que poderá indicar o melhor tratamento e quais medidas adotar”, destaca.

 

Geralmente, as queimaduras são classificadas em térmicas, provocadas por fontes de calor como fogo, água, vapor e exposição ao sol; químicas, causadas por substâncias como solventes, ácidos, entre outros; e por eletricidade, ocasionadas por descargas elétricas. Além disso, as lesões são avaliadas através da análise da profundidade de tecido lesado, podendo ser classificadas em queimaduras de: 1º grau, que atingem as camadas superficiais da pele, apresentando avermelhamento da pele, inchaço e muita dor, sem formação de bolhas; 2º grau, com profundidade intermediária, atingem as camadas mais profundas da pele. Caracterizam-se por apresentar bolhas decorrentes de um descolamento dermo-epidérmico; e 3º grau, que atingem todas as camadas da pele, podendo inclusive, chegar aos ossos. Em geral, este tipo de queimadura apresenta pouca ou nenhuma dor.

 

Cada caso demanda um tratamento específico. Os tratamentos mais comuns de queimaduras de 1º e 2º grau são a utilização de creme hidratante ou pomadas, que promovem a melhora em poucos dias, ou, ainda, curativos que promovem a cicatrização e auxiliam na evolução do tratamento, como a membrana porosa regeneradora Membracel. “Nos casos de lesões provocadas por queimaduras, a membrana é capaz de proporcionar o alívio imediato da dor e acelerar a regeneração da pele atingida”, afirma Rangel.

 

Primeiro socorros em queimaduras

Imediatamente após o incidente, as queimaduras deverão ser colocadas debaixo de água corrente fria, com jato suave, por aproximadamente dez minutos. Também se pode utilizar compressas úmidas e frias. No caso de queimaduras em grandes extensões do corpo, por substâncias químicas ou eletricidade, a vítima necessita de cuidados médicos urgentes. É preciso tomar o cuidado, também, de:

  • Nunca utilizar pasta de dentes, clara de ovo, manteiga, óleo de cozinha ou qualquer outro ingrediente sobre a região queimada;
  • Nunca remover tecidos grudados na pele queimada, recorte cuidadosamente o que estiver solto;
  • Nunca estourar as bolhas.

 

Sobre o profissional

 Antônio Rangel é graduado pela Pontifícia Universidade Católica do Paraná e pós-graduado nas áreas de Podiatria Clínica (UNIFESP), Estomaterapia (PUC-PR), Saúde da Família (TUIUTI-PR) e Saúde Coletiva (UFPR). Atua como assessor técnico da Membracel, empresa responsável pelo desenvolvimento da membrana de celulose bacteriana porosa. Capaz de substituir temporariamente a pele humana, a membrana promove a rápida regeneração em lesões causadas por queimaduras, úlceras de membros inferiores ou em qualquer outra situação onde ocorra a falta da epiderme ou da derme. Além disso, Antônio Rangel é professor convidado dos cursos de pós-graduação em Estomaterapia e Estética da PUC-PR.

COMMENT THIS PUBLICATION

WhatsApp chat