Sabe quando a ferida fica com uma coloração esbranquiçada? Geralmente, essa situação está relacionada ao excesso de umidade no leito da lesão, o que acaba levando à chamada “maceração”. Nesses casos, a cicatrização é prejudicada e pode levar mais tempo do que o esperado.

 

Ferida em braço de criança

 

Vamos falar mais sobre a maceração da pele e como evitá-la logo abaixo.

 

O que é maceração da lesão?

A maceração ocorre quando a umidade no leito da lesão está acima do normal. Geralmente, isso acontece quando o curativo abafa a lesão, fazendo com que a umidade fique “presa” entre a ferida e o curativo.

 

Essa umidade pode ter origem das seguintes situações:

  • Da própria lesão: quando há secreção (exsudato) em excesso;
  • Da transpiração do corpo;
  • Do meio externo: quando o curativo é umedecido com água e não é realizada a troca.

 

A escolha incorreta do curativo pode levar a maceração da ferida, tornando a cicatrização mais complexa e demorada.  Isso ocorre porque muitos curativos não permitem a transpiração ou transposição do exsudato para um curativo secundário absorvente.

A maceração pode ocorrer, ainda, quando é extrapolado o tempo de permanência do curativo ou em situações em que a ferida apresenta grande quantidade de exsudato, saturando facilmente o curativo.

 

Como evitar as feridas esbranquiçadas?

A escolha do curativo é essencial para que o processo de cicatrização ocorra conforme o esperado. Dê preferência para curativos que possibilitem a drenagem do excesso de exsudato (secreção), como é o caso da Membrana Regeneradora Porosa Membracel.

A Membracel contém poros que permitem drenar o excesso de secreção para um curativo secundário absorvente (gaze), mantendo a umidade ideal no leito da lesão. Esse curativo secundário deve ser trocado sempre que estiver saturado (úmido).

 

Além disso, os poros permitem as trocas gasosas, etapa essencial do processo de cicatrização da pele. Por ser um curativo de longa permanência, a Membracel promove mais conforto ao paciente, pois não necessita de trocas diárias.

 

Ilustração de como a Membracel funciona

 

Processo de cicatrização

A maceração influencia diretamente na cura da lesão e, portanto, deve ser cuidadosamente tratada. A Membracel pode ser utilizada tanto em feridas pouco exsudativas quanto em lesões com grande quantidade de secreção, pois transfere o exsudato de forma vertical para o curativo secundário, favorecendo a cicatrização no sentido dos bordos para o centro da lesão.

 

Orientação para curativos

E se os bordos já estiverem macerados? O que fazer?

Nesse caso, basta retirar o curativo atual, realizar a limpeza da lesão e aplicar a Membracel conforme as orientações da bula. Em poucos dias, a membrana irá regular a umidade natural da pele e auxiliar na formação do tecido de granulação, acelerando a cicatrização.

 

Para um melhor resultado, siga as orientações abaixo:

1 – Retire o curativo anterior e inspecione se há sinais de maceração. Atenção! Mau cheiro pode ser sinal de infecção. Nesse caso, procure um médico o mais breve possível;

2 – Limpe o excesso de líquido utilizando gaze e soro fisiológico ou outra solução para limpeza de feridas (como as com PHMB);

3 – Aplique a Membracel conforme as orientações da bula;

4 – Cubra a membrana com gaze e, se necessário, enfaixe o local;

5 – Troque a gaze sempre que estiver saturada e, antes de aplicar uma nova, limpe novamente a lesão por cima da membrana (sem retirá-la).

6 – O tempo de permanência da Membracel na lesão varia de acordo com o tipo da ferida. Entretanto, de maneira geral, indicamos que, no início do tratamento, a Membracel permaneça na lesão entre 5 e 7 dias. Conforme o tratamento for evoluindo e a lesão for ficando mais limpa, é possível aumentar o tempo de permanência para 10 ou até 12 dias.

7 – É importante que todo tratamento de feridas seja acompanhado por um profissional de saúde, como médico ou enfermeiro estomaterapeuta.

 

Aplicação de membrana regeneradora porosa membracel em ferida no braço

 

O que é casca de ferida?

Outro processo bastante conhecido é a formação da casca de ferida, que nada mais é do que parte do processo cicatricial. O organismo acumula proteína fibrina na região lesionada que, ao se misturar com plaquetas, ajuda a estancar o sangramento.

Ou seja, essa “casquinha” é sangue coagulado misturado a proteínas do corpo. Os especialistas alertam que mexer ou cutucar a casca da ferida pode atrasar o processo de cicatrização.

 

Veja como aplicar a Membracel em lesões crônicas.

COMENTE ESTA PUBLICAÇÃO