A amputação de membros exige diversos cuidados e um período de adaptação. Uma consequência comum é o aparecimento de feridas nas regiões de amputação, em especial nos casos de membros inferiores devido à sobrecarga de peso. As feridas mais comuns estão relacionadas à adaptação das próteses, por causa do atrito com a pele. Existem, ainda, as feridas que aparecem na planta dos pés em consequência de amputações de dedos ou parte do pé. Essas lesões são derivadas do aumento de pressão e atrito causados pelas alterações biomecânicas do membro afetado.

Outro tipo de ferida pós-amputação acontece quando não é possível realizar sutura para aproximação dos bordos da pele. Isso faz com que a pessoa saia do procedimento com uma ferida na pele, necessitando de tratamento tópico e o uso de curativos especiais.

As lesões causadas pelo atrito das próteses e por alterações da biomecânica podem ser evitadas ou minimizadas. Nesses casos, é necessária uma avaliação por profissional de saúde capacitado, além da utilização de prótese, palmilhas e sapatos especiais para melhor apoio, proteção dos pés quando indicado e hidratação da pele. O tratamento para essas feridas deve incluir a manutenção da lesão limpa. O uso de uso de muletas também é indicado para pessoas que apresentam lesões na planta dos pés, para alívio da pressão.

Um curativo especial que vem sendo bastante usado em lesões pós-amputação é a membrana Membracel ajuda a manter as condições ideais para uma rápida cicatrização, permitindo a drenagem do exsudato (líquido das feridas), trocas gasosas, mantém a umidade controlada no leito da ferida, protege de infecções e isola os terminais nervosos, proporcionando alívio imediato da dor.

COMENTE ESTA PUBLICAÇÃO

WhatsApp chat