Disculpa, pero esta entrada está disponible sólo en Portugués De Brasil. For the sake of viewer convenience, the content is shown below in the alternative language. You may click the link to switch the active language.

Úlceras são lesões superficiais ou profundas que podem ser causadas por diversos fatores, como hereditariedade, doenças pré-existentes e fatores de risco, como sedentarismo e tabagismo. No caso das úlceras de membros inferiores, as mais comuns são causadas por problemas de circulação. São elas as úlceras arteriais e as úlceras venosas.

A circulação sanguínea funciona a partir da distribuição do sangue que sai do coração, atividade realizada pelas artérias. Depois que todo o corpo foi abastecido com sangue rico em nutrientes e oxigênio, as veias levam o sangue de volta ao coração para que sejam filtradas as impurezas.

Úlceras arteriais

A ferida se forma porque há obstrução das artérias, pois existe falta de sangue rico em oxigênio e nutrientes para irrigar os tecidos, resultando na morte celular e, por consequência, nas lesões. Geralmente, está associada à formação de placas de gordura na parede das artérias, ocasionando a diminuição ou interrupção do fluxo sanguíneo. Tabagismo, diabetes não controlado e colesterol alto são alguns dos fatores que podem favorecer o surgimento desse tipo de úlcera. Comuns na região acima da canela e nas extremidades dos dedos dos pés, são feridas de difícil cicatrização e bastante dolorosas, podendo, inclusive, resultar na amputação do membro.

Úlceras venosas

Causadas pela dificuldade de retornar o sangue ao coração, correspondem a 80% das feridas que acometem pernas e pés. O sangue fica estagnado na região e, devido à fragilização da pele, qualquer pequeno trauma pode resultar em lesão e evoluir para a condição crônica (úlcera). Os grupos com maior probabilidade de desenvolver esse tipo de úlcera são: mulheres, sedentários ou pessoas que costumam ficar muito tempo em pé. Fatores genéticos também podem influenciar.

Tratamento

Assim que identificado o problema vascular, é essencial que haja o acompanhamento médico especializado para que o melhor tratamento seja indicado, principalmente porque cada tipo de úlcera exige um tratamento específico. Em úlceras venosas, para melhorar o retorno do sangue, é importante associar o tratamento tópico da ferida a repouso com as pernas elevadas e bandagem compressiva. Já nos casos de úlceras arteriais o tratamento compressivo é contraindicado.

As úlceras são feridas complexas e, muitas vezes, dolorosas. Com a evolução dos curativos e dos tratamentos, existem produtos que aceleram o processo cicatricial e diminuem incômodos. A Membrana Regeneradora Porosa Membracel, por exemplo, tem proporcionado excelentes resultados no tratamento de úlceras de membros inferiores, sejam elas arteriais ou venosas. A membrana protege as terminações nervosas, aliviando instantaneamente a dor. Além disso, contém poros, o que propicia o ambiente ideal para a cicatrização, diminuindo o tempo e os gastos com o tratamento.

COMENTE ESTA PUBLICACIÓN