Úlceras arteriais

As úlceras arteriais ou isquêmicas são causadas pela obstrução das artérias: o sangue não consegue chegar adequadamente aos tecidos para nutrir e oxigenar as células, resultando morte celular e, consequentemente, nas lesões. “Frequentemente, está associada à aterosclerose (formação de placas de gordura na parede das artérias), que ocasiona a diminuição ou interrupção do fluxo sanguíneo”, explica o enfermeiro da Membracel, Antonio Rangel. Tabagismo, diabetes descontrolado, altas taxas de colesterol e triglicerídeos no sangue também podem favorecer o surgimento desse tipo de úlcera.

As úlceras arteriais são mais frequentes na região acima da canela e nas extremidades dos dedos dos pés. São feridas crônicas, de difícil cicatrização, podendo ser bastante dolorosas. Em casos mais graves, pode resultar na amputação do membro afetado.

Úlceras venosas

As úlceras venosas, também chamadas de varicosas, correspondem a cerca de 80% das feridas que acometem pernas e pés. São causadas pela má circulação sanguínea, consequência, na maioria dos casos, de fatores genéticos. Mulheres, sedentários ou pessoas que costumam ficar muito tempo em pé têm mais probabilidade de desencadear o problema precocemente.

“Em razão de uma dificuldade do retorno do fluxo sanguíneo dos membros inferiores para o coração acontece a estagnação do sangue nas pernas, ocasionando varizes e inchaço, o que prejudica a oxigenação dos tecidos”, explica Antônio Rangel. Nessa situação, o local fica mais suscetível e até mesmo um leve traumatismo pode resultar em uma ferida, que pode evoluir para a condição crônica.

COMENTE ESTA PUBLICAÇÃO

WhatsApp chat