1911 Lesão por pressão

As lesões por pressão (escaras) ocorrem quando há pressão constante nas proeminências ósseas, causando feridas. Podem atingir tanto as estruturas superficiais (como a epiderme) quanto as mais profundas (como músculos, tendões, ossos e até mesmo órgãos). Como na maioria dos casos o paciente está acamado, o que leva a esse tipo de lesão é a falta de movimentação.

Os locais mais comuns para o aparecimento dessas lesões e de maior comprometimento são:

  • região sacral (acima do cóccix)
  • trocânteres (parte superior e lateral do fêmur)
  • maléolos (osso lateral dos pés)
  • calcanhares (devido ao constante contato com a cama)

Como evitar?

É importante avaliar regularmente a integridade da pele e efetuar a mudança efetiva e sequencial da posição do paciente na cama. Todo paciente acamado deve ser trocado de posição a cada 3 horas. A troca deve ser feita sem arrastá-lo sobre a cama. Além disso, o acompanhamento de profissionais de saúde auxilia na orientação sobre tecnologias terapêuticas efetivas, que diminuem a cronicidade desse tipo de lesão.

Tratamento

A úlcera por pressão apresenta vários graus de profundidade e comprometimento tecidual. Em feridas profundas e com tecido morto (necrose) é necessária a limpeza rigorosa da lesão, que deve ser realizada por enfermeiro ou médico capacitados.

A Membracel vem sendo usada no tratamento de lesões por pressão com excelentes resultados, pois favorece a formação do tecido de granulação, acelerando o processo cicatricial. Após a limpeza, deve-se aplicar a membrana de forma que fique em contato com todo o leito da ferida. Ao proteger as terminações nervosas, a Membracel diminui instantaneamente a dor, trazendo mais qualidade de vida ao paciente.

COMENTE ESTA PUBLICAÇÃO