Especialista no tratamento de feridas dá dicas de como evitar lesões e como tratá-las em pacientes crônicos

Diversos são os problemas de saúde que podem causar feridos ou lesões graves na pele. Essas situações são comuns, sobretudo, em pacientes que já possuem pré-disposição, devido doenças crônicas como diabetes, hipertensão arterial, arteriosclerose, doenças da tireóide e doenças circulatórias periféricas. Para evitar o aparecimento de lesões ou controlá-las, evitando que progridam e se agravem, é preciso observar alguns fatores como o cuidado com a alimentação, assepsia dos ferimentos, entre outros.

 

Segundo Antônio Rangel*, o paciente necessita realizar atividades físicas, alimente-se em pequenas quantidades e várias vezes ao dia, ingira, pelo menos, dois litros de água diariamente e, é claro, evite o fumo, pois o tabagismo prejudica a cicatrização. “No caso de doenças crônicas, as quais geram lesões constantes e de difícil cuidado e assepsia, é ideal a utilização de curativos próprios para esse tratamento. A membrana porosa é indicada para estes casos, pois além de não necessitar trocas constantes, permite também, a respiração do tecido atingido. Neste caso, apenas seria necessária a troca do dos curativos secundários, quando saturados. Fora isso, o local deve ser mantido limpo e seco, evitando molhá-lo”, destaca o Enfermeiro.

 

A melhora na cicatrização e na qualidade de vida de pacientes crônicos que utilizam a Membracel é comprovada na prática por quem utiliza a membrana que auxilia na reconstituição do tecido. “Eu não conseguia nem andar direito devido às dores, ardência e queimação na ferida. Após a utilização da membrana, minha perna vem melhorando a cada dia, diminuindo tudo o que sentia anteriormente, inclusive a dor ”, conta Bronislava Lenanski Paul, paciente com ferida crônica na perna.

 

No caso dos pacientes diabéticos, sujeitos à aparição de lesões, principalmente nos pés. Recomenda-se realizar hidratação da pele diariamente e pedir avaliação médica ou do enfermeiro sempre que for à consulta. “A avaliação do médico ou enfermeiro especialista no tratamento de feridas é fundamental para que as lesões não se agravem e sejam sempre tratadas no início, diminuindo o desconforto para o paciente”, afirma Rangel.

 

Sobre o profissional

 

*Antônio Rangel é graduado pela Pontifícia Universidade Católica do Paraná e pós-graduado nas áreas de Podiatria Clínica (UNIFESP), Estomaterapia (PUC-PR), Saúde da Família (TUIUTI-PR) e Saúde Coletiva (UFPR).

 

Atua como Assessor Técnico da Membracel, Empresa responsável pelo desenvolvimento da membrana de celulose bacteriana porosa. Capaz de substituir temporariamente a pele humana. A membrana promove a rápida regeneração em lesões causadas por queimaduras, úlceras de membros inferiores ou em qualquer outra situação onde ocorra a falta da epiderme ou da derme. Além disso, Antônio Rangel é professor convidado dos cursos de pós-graduação em Estomaterapia e Estética da PUC-PR.

COMENTE ESTA PUBLICAÇÃO

WhatsApp chat