O processo de remoção de uma parcela de pele saudável para reposicionamento em outra região do corpo, essa lesionada, é conhecido como enxerto cutâneo. Comum em tratamentos de lesões causadas por acidentes, feridas cirúrgicas, retirada de tumores e queimaduras profundas, esse procedimento busca impedir que o meio interno fique exposto e sujeito a agentes infecciosos.

Após o procedimento, a área da qual a pele saudável foi retirada precisa de atenção para que o processo cicatricial ocorra da maneira esperada. Para proteger a região, é importante utilizar curativos antiaderentes e que acelerem a cicatrização da pele, como é o caso da Membracel. A membrana regeneradora porosa substitui temporariamente a pele e, através de seus poros, possibilita as trocas gasosas, auxiliando no processo de reepitelização.

A utilização da membrana proporciona mais conforto ao paciente, já que não é necessário realizar trocas frequentes. Além disso, protege as terminações nervosas, o que diminui instantaneamente a dor. Essas características ajudam a manter a umidade da lesão controlada e colaboram para o surgimento do tecido de granulação, auxiliando para que a região seja cicatrizada, em média, entre 7 e 10 dias.

COMENTE ESTA PUBLICAÇÃO