Ser mãe é o grande sonho da maioria das mulheres. Porém, esse sonho acaba se tornando uma grande dúvida para mulheres estomizadas, já que a gravidez traz muitas mudanças ao corpo. Mesmo com essas dificuldades, temos uma dica para você, estomizada: não desanime! Se você tem vontade de ser mãe, o primeiro passo é procurar o seu médico. A cirurgia de criação do estoma pode ocorrer por diversos motivos e, por isso, cada caso deve ser tratado como único. Sendo assim, apenas o seu médico poderá informar com precisão sobre as chances e riscos de engravidar. Após o aval do especialista, é importante saber que, além das alterações comuns que a gravidez gera no corpo, a grávida estomizada tem algumas preocupações adicionais, como as trocas diárias da bolsinha e os cuidados com o estoma, já que o crescimento do bebê provoca distensão abdominal.

De acordo com o enfermeiro estomaterapeuta da Vuelo Pharma, Antônio Rangel, em qualquer gestação é importantíssimo que a gestante mantenha uma dieta equilibrada para que o desenvolvimento do bebê ocorra de forma saudável. Alimentos com muitas calorias devem ser evitados, pois podem gerar consequências negativas, como o aumento da pressão arterial. “Possivelmente, a gestante estomizada precisará de suplementos vitamínicos, já que tem dificuldade para absorver os nutrientes dos alimentos ingeridos. Manter a hidratação do organismo é outro ponto importante, pois o estoma expele cerca de 500 ml de líquido diariamente, uma quantidade muito acima do normal”, destaca Rangel.

Como qualquer outra grávida, é comum sentir náuseas no primeiro trimestre da gestação. Porém, se houver vômitos mais de uma vez por dia, deve-se informar o médico para que não haja risco de desidratação ou desequilíbrio de nutrientes. Para combater os enjôos, evite alimentos gordurosos e o contato com cheiros ou temperos fortes. Pingar algumas gotinhas de limão no chá ou na água também pode ajudar a aliviar o desconforto. Além disso, ficar muitas horas em jejum é um dos fatores que aumentam o enjôo. Portanto, o ideal é fazer entre 5 e 6 refeições por dia, sempre bebendo água no intervalo entre elas.

Já na reta final da gravidez, é possível praticar exercícios físicos, de relaxamento e respiratórios para ajudar na preparação para o parto. Mas lembre-se: para qualquer tipo de exercício, a orientação médica é imprescindível. O trabalho de parto pode ser comum como o de qualquer outra mulher, mas é importante que o estoma seja observado durante as contrações. “A mulher estomizada pode, sim, ter uma experiência tranquila de gravidez, parto e pós- parto, desde que haja acompanhamento médico e pequenos cuidados adicionais”, finaliza o estomaterapeuta.

COMENTE ESTA PUBLICAÇÃO

WhatsApp chat