O estoma é um orifício criado cirurgicamente para formação de uma colostomia ou ileostomia. Esse procedimento costuma ser realizado em casos de doenças (como Câncer de Intestino e Doença de Chron) ou em casos de acidentes com perfuração abdominal. No paciente ostomizado, o trato digestivo tem seu caminho interrompido, sendo necessário usar a bolsa coletora para armazenar as fezes. A rotina com uma ostomia exige alguns cuidados específicos para evitar que a bolsa libere odores incômodos para o ostomizado.

Odores da Bolsa Coletora

Deixar de sair de casa ou manter uma vida social normal não é uma consequência da ostomia. Pelo contrário! É perfeitamente possível manter a rotina e até mesmo a vida sexual. Basta tomar alguns cuidados simples para adaptar a presença da bolsa em sua vida, principalmente em relação ao controle de odores da bolsa coletora.

Veja algumas dicas de como conciliar a vida social e ostomia

 

É claro que cada procedimento cirúrgico tem suas particularidades, assim como algumas pessoas têm mais problemas com os odores da bolsa coletora que outras, sendo necessário que cada paciente avalie suas próprias experiências com a bolsa para entender quais cuidados são necessários para melhorar sua vida cotidiana. Na sequência traremos algumas dicas que podem te ajudar na adaptação à ostomia.

 

Estoma de ileostomia

 

Dicas para controle de odores da bolsa coletora

Há alguns passos simples que devem ser seguidos para melhorar a experiência do paciente com a bolsa coletora, passando pela escolha da bolsa, a aplicação, a manutenção até os cuidados e hábitos cotidianos. Veja alguns deles:

 

Tipos da Bolsa de Ostomia:

Atualmente, existe uma ampla variedade de bolsas coletoras no mercado, produzidas com diferentes materiais, tamanhos, em uma ou duas peças, com ou sem encaixe para cinto, etc. Observe quais são seus principais incômodos em relação à bolsa e peça a ajuda do seu estomaterapeuta para escolher a bolsa que melhor se adapta ao seu caso e ao seu estilo de vida.

Por exemplo, se você estiver muito incomodado com os odores da bolsa de ostomia, a escolha por materiais mais espessos pode ajudar, uma vez que criam uma barreira física mais eficiente para a retenção dos odores. Caso você fique desconfortável com a aparência da bolsa, pode optar por bolsas opacas invés das transparentes.

 

Aderência:

A aplicação correta da bolsa é essencial para o bom funcionamento do dispositivo. Se a placa não estiver adequadamente aderida à pele, pode deixar pequenos espaços, aumentando as chances de infiltração e passagem do mau cheiro. Estabeleça uma rotina com passo a passo na aplicação e troca da bolsa para garantir que o estoma fique devidamente protegido e a pele periestoma se mantenha saudável.

 

Higienização:

Assim como o cuidado com a pele e com a aplicação da bolsa é imprescindível para manter a saúde e o conforto do paciente, o cuidado com a bolsa coletora também deve estar sempre em dia. Bolsas reutilizáveis requerem uma higienização cautelosa, devendo sempre ser esvaziadas antes de ficarem completamente cheias para evitar que o efluente vaze pela abertura superior. Limpar o interior da bolsa com água a cada higienização ajuda a aumentar a durabilidade da bolsa e garantir que esteja sempre limpa.

 

Gelificador e Spray de Barreira:

O Gelificador para Bolsas de Estomia ajuda muito na qualidade de vida do ostomizado, tendo duas funções principais:

Aromatizar: As cápsulas contêm óleo essencial de lavanda, que mantém um aroma agradável na bolsa e também no banheiro (na hora de esvaziar da bolsa);

Gelificar: transforma as fezes líquidas em gel, evitando vazamentos, infiltrações e irritações pelo contato das fezes com a pele.

 

Já o Spray de Barreira é importante para manter a pele ao redor do estoma saudável, pois forma uma película de silicone que protege de atritos e evita lesões causadas por infiltrações da bolsa e pela cola da placa.

Quer mais dicas sobre a adaptação à bolsinha? No post Dicas de Adaptação à Bolsa de Ostomia há uma série de cuidados desde o pós operatório até o cotidiano do paciente ostomizado!

 

Prevenindo incidentes:

Mesmo com todo o cuidado, incidentes podem acontecer. A dica é sempre levar consigo um kit emergencial, contendo bolsa extra, toalha pequena, sabonete, uma garrafinha com água e um saco plástico. Se a sua bolsa for recortável, lembre-se de ter também uma tesourinha. Assim, é possível fazer a troca e a limpeza da bolsa sempre que preciso ou quando você se sentir desconfortável.

 

Alimentação:

A alimentação é fundamental para controlar o odor e a consistência das fezes. A ingestão de alimentos de fácil digestão evita a produção de odores e o excesso de gases. Abaixo trazemos uma tabela dos alimentos que ajudam ou dificultam o controle de odores e gases. Cada organismo pode apresentar reações distintas a um mesmo alimento, sendo importante atentar para quais alimentos são mais ou menos indicados para você. Uma boa dica é sempre que for provar um alimento novo ou manipulado de uma maneira diferente, experimente em pequenas quantidades para perceber qual será a reação do seu corpo.

Veja na imagem abaixo quais alimentos evitar e quais consumir para ajudar a neutralizar o cheiro das fezes.

 

tabela de alimentos para evitar ou consumir para combater o odor das fezes

 

Para mais dicas, acesse a seção sobre Estomia do Blog da Vuelo Pharma ou deixe sua dúvida nos comentários abaixo!

COMENTE ESTA PUBLICAÇÃO