Para que serve a bolsa de estomia?

O que é estomia?

Estomizada é a pessoa que, por motivos diversos (doenças congênitas, câncer, acidente, etc.) passou por um procedimento cirúrgico para a criação de uma abertura na parede abdominal, ligando uma terminação do intestino ao meio externo. Essa abertura é chamada de estoma.

A partir de então, os fluídos corpóreos (fezes ou urina) passam a ser coletados por uma bolsa externa. O desvio do fluxo intestinal pode ser temporário (apenas durante o período do tratamento, por exemplo) ou permanente.

Tipos de estomia

Os tipos de estomia são definidos de acordo com a localização do estoma no intestino, conforme abaixo:

  • Ileostomia: o estoma é criado a partir do intestino delgado;
  • Colostomia: quando o estoma é criado com o intestino grosso.

A bolsa de estomia, que pode ser de uma ou duas peças, é acoplada ao estoma e deve ser higienizada sempre que estiver cheia. Para evitar vazamentos, o ideal é não deixar a bolsa encher até sua capacidade máxima.

Há, ainda, o tipo de estomia que desvia o fluxo urinário, conhecido como “urostomia”.

Para que serve a bolsa?

Após a cirurgia, o estoma e o fluxo intestinal não podem ser controlados voluntariamente. Por esse motivo, é necessário que a bolsa de estomia esteja sempre acoplada ao estoma, coletando o conteúdo fecal cada vez que o intestino funcionar.

Estomizei, e agora?

O período de adaptação com a bolsa de estomia pode ser complexo e trabalhoso. Procure focar na ideia de que a estomia aumentou suas chances de cura e proporcionou melhores resultados com o tratamento proposto.

Aos poucos, é preciso aprender sobre o estoma e tomar a iniciativa de esvaziar, higienizar e trocar a bolsa sozinho. Para ajudar, já falamos aqui sobre dicas que ajudam na hora de trocar a bolsa. Em pouco tempo você se acostumará com a nova situação e o estoma passará a ser apenas um detalhe. Muitas cidades possuem associações de estomizados, que dão suporte e orientações técnicas aos novos estomizados, além de promoverem reuniões para trocas de experiências.

É certo afirmar que o estomizado pode ter uma vida normal, sem se privar de atividades comuns, como trabalhar, ir à praia e entrar no mar. A vida social e o convívio em família permanecem os mesmos. Atividades físicas e esportes são permitidos desde que aprovados pelo médico. Uma dica muito útil é sempre ter por perto um “kit de emergência”, com bolsa adicional, tesoura, papel e outros materiais necessários para a troca da bolsa. Além disso, algumas dicas práticas ajudam a evitar acidentes com a bolsinha, como os inesperados vazamentos.

Cuidados

Após a cirurgia, alguns cuidados básicos são essenciais para manter a saúde do estoma e do estomizado de maneira geral. Veja abaixo alguns deles:

  • Evite carregar peso. Isso pode criar pressão intra-abdominal;
  • Evite exercícios físicos que exijam grandes esforços;
  • Evite o uso de roupas que possam comprimir o estoma;
  • Evite alimentos que produzam gases ou bebidas gaseificadas, como refrigerantes;
  • Mastigue bem os alimentos;
  • Mantenha a pele periestoma sempre limpa. Ao trocar a placa, lave cuidadosamente a região com água e sabão;
  • Antes de colar a nova placa, seque a pele e aplique o Spray de Barreira Vuelo para proteger a pele de infiltrações e da cola da placa;
  • Insira as cápsulas do Gelificador para Bolsas de Estomia no interior da bolsa (pela abertura superior ou inferior). Cada cápsula gelifica 100 mL, permitindo que o estomizado administre a capacidade de armazenamento da bolsa.

Passo a passo para usar o Gelificador para Bolsas de Estomia

O Gelificador para Bolsas de Estomia gelifica o conteúdo armazenado pela bolsa, evitando vazamentos e situações constrangedoras. Como contém óleo essencial de lavanda, além de facilitar o esvaziamento da bolsa, deixa o estomizado mais seguro para fazer a limpeza da bolsa em qualquer local, já que aromatiza o conteúdo da bolsa.

Para utilizar o Gelificador para Bolsas de Estomia da Vuelo Pharma, siga os passos abaixo:

  1. Após o esvaziamento ou troca da bolsa de estomia, insira uma ou mais cápsulas no interior da bolsa, utilizando a abertura superior ou inferior;
  2. Não é necessário abrir as cápsulas;
  3. Acople a bolsa e feche o clamp, como de costume;
  4. Ao entrar em contato com os fluidos corpóreos, a cápsula se dissolverá, gelificando e aromatizando o conteúdo;
  5. Uma cápsula é suficiente para gelificar até 100 mL de líquido.

Quer saber mais sobre o Gelificador para Bolsas de Estomia? Leia aqui, aqui e aqui depoimentos de pessoas que já usaram o produto.

COMENTE ESTA PUBLICAÇÃO