É impossível evitar completamente o aparecimento de cicatrizes, porém alguns cuidados simples podem torná-las o mais imperceptíveis possível e garantir que a pele se recupere de maneira saudável. No post de hoje vamos ver como as cicatrizes se formam, quais os diferentes tipos de cicatriz e os principais cuidados que cada uma delas exige para garantir o bem-estar e a saúde da sua pele.

 

O que é cicatriz?

Cicatrizes nada mais são do que o resultado do próprio mecanismo de cicatrização da pele em resposta a lesões ou incisões cirúrgicas. A cicatriz sempre existirá após o rompimento da pele, a diferença está no tipo de cicatriz que se formará, podendo ser mais visível ou quase imperceptível.

No caso de cirurgias plásticas, a cicatrização da pele é sempre uma preocupação a parte. Afinal, a formação de uma cicatriz grande e visível pode comprometer o resultado estético da cirurgia. Mas é preciso entender que o aspecto da cicatriz está relacionado a muitos outros fatores, como profundidade, formato, largura e, inclusive questões genéticas.

Resumidamente, a boa cicatrização de pele depende de fatores como:

  • Condições relacionadas ao paciente, como genética, patologias (diabetes, obesidade, hipertensão, etc) e distúrbios de coagulação;
  • Fatores intra-operatórios, como a técnica utilizada na cirurgia, sangramento, tensão na cicatriz;
  • Cuidados pré e pós-operatórios, como exames, manter uma alimentação saudável e evitar exposição ao sol.

 

Cicatriz de queimadura em braço

Cicatriz de queimadura

 

Tipos de cicatrizes

Cada cicatriz terá características específicas de tamanho, formato, espessura e coloração e podem exigir cuidados e tratamentos diferentes. Confira os principais tipos de cicatriz de acordo com seu aspecto:

 

Cicatrizes Atróficas

É o tipo mais comum e não estão ligadas a fatores genéticos. Ocorrem quando há perda de estruturas que oferecem apoio e firmeza à pele. Deixam a pele com uma espécie de buraco (afundada). Comuns após acidentes e em casos de acnes.

 

Queloides

São cicatrizes espessas e elevadas que não param de crescer, ultrapassando, inclusive, os limites da própria lesão. Nesses casos, o corpo produz colágeno em excesso, estimulando esse crescimento desregulado. Esse tipo de cicatriz pode estar relacionado a fatores genéticos.

 

Cicatrizes Hipertróficas

Da mesma forma, há um desequilíbrio de colágeno, que é produzido de maneira anormal. A cicatriz fica com uma textura elevada, mas não ultrapassa os limites ou a extensão do ferimento. É frequentemente confundida com os queloides, mas a principal diferença é que a cicatriz se mantém dentro das medidas de lesão/incisão.

 

Cicatrizes por Queimaduras

Não são raros os casos de acidentes com queimaduras que comprometem grandes áreas da pele. Esse tipo de lesão pode resultar em cicatrizes que repuxam as margens da pele ao redor (processo conhecido como “contratura”), podendo, inclusive, dificultar a movimentação do membro afetado. A correção dessas cicatrizes é feita por meio de enxertos de pele ou da utilização de expansores de tecido. Alguns tratamentos para queimadura favorecem a cicatrização da pele, resultando em cicatrizes mais amenas. É o caso da Membrana Regeneradora Porosa Membracel, que além de acelerar o processo de cicatrização, faz uma barreira orientativa para a pele, direcionando-a para onde ela deve crescer e, proporciona o ambiente ideal para a formação da nova pele.

 

Cicatrizes Normotróficas

Quando a pele que se formou após a cicatrização tem aspecto semelhante a pele de antes do trauma. Acontece em machucados simples, que não prejudicam tanto a pele.

 

Infográfico sobre os tipos de cicatrizes (atrófica, queloide, hipertrófica, contratura e normotrófica)

 

Cuidados que ajudam na cicatrização

Como a definição do aspecto final da cicatriz leva meses, é possível agir durante esse processo para que o resultado final seja o melhor possível. No caso de cirurgias, por exemplo, um fator importante é a sutura, que deve contar com a técnica apurada do profissional e com produtos de qualidade, como agulhas delicadas e fio da espessura correta. Outros produtos como cremes específicos e lâminas de gel podem ser interessantes quando prescritos pelo médico.

Veja aqui cuidados com cicatrizes de cirurgias.

No caso de queimaduras ou lesões causadas por trauma (acidentes), a utilização de curativos especiais pode auxiliar na formação do novo tecido da pele, que cresce de forma ordenada. Um exemplo desses curativos é a Membrana Regeneradora Porosa Membracel, que auxilia na orientação das fibras da pele, colaborando para a formação de uma cicatriz mais amena.

 

Tratamentos para melhorar o aspecto da cicatriz

Após a finalização do processo de cicatrização da pele, é possível também realizar tratamentos secundários a fim de melhorar o aspecto da cicatriz, que vão desde procedimentos simples até microcirurgias. Cicatrizes menores podem ficar quase imperceptíveis, mas cicatrizes  extensas e profundas dificilmente desaparecerão por completo. Os principais tratamentos são:

  • Laser: O laser esquenta a camada superficial da pele removendo as camadas mais afetadas e expondo as camadas mais novas e naturais da pele;
  • Microdermoabrasão: O especialista faz uma espécie de lixamento controlado, também para remover as camadas de pele mais afetadas;
  • Peeling químico: Por meio de uma solução química, o médico faz a esfoliação da derme. Esse procedimento é muito usado em cicatrizes de acne;
  • Peeling de cristal: Pulveriza pequenas partículas de cristais sobre a pele, descamando a derme para que uma camada de pele mais lisa surja;
  • Preenchimento: Geralmente realizado com ácido hialurônico, o preenchimento aumenta o volume do local, na intenção de deixar a cicatriz no mesmo nível do restante da pele. É um procedimento temporário e precisa ser repetido;
  • Cirurgia: indicada para amenizar cicatrizes mais largas ou profundas.

A alimentação tem um papel fundamental na cicatrização.

 

 

cicatriz na barriga

Cicatriz cirúrgica

 

 

8 dicas para amenizar cicatrizes

De maneira geral, adotar alguns cuidados simples durante o processo de cicatrização pode contribuir e muito para amenizar o aspecto da cicatriz e minimizar os incômodos que a lesão cutânea ocasionará ao paciente. Confira algumas dicas:

 

  1. A Vitamina C ajuda na produção de colágeno, importante para o processo de cicatrização da pele. Inclua na sua dieta alimentos ricos nessa vitamina, como laranja, acerola, morango e brócolis;
  2. Alimentos ricos em ferro, proteínas e minerais também são importantes. Por isso, carne, ovos e leite não podem faltar em sua dieta;
  3. O cigarro atrasa do processo de cicatrização e, portanto, deve ser evitado durante o período de tratamento;
  4. Se estiver com dores ou inseguro, volte ao médico. Ele sempre terá a melhor avaliação e poderá orientar sobre os próximos passos;
  5. Siga à risca as orientações médicas. Você voltará à sua rotina assim que liberado. Esse tempo de cuidados e privações é essencial para a boa recuperação da pele e para que o aspecto da cicatriz fique o mais delicado possível;
  6. Evite carregar peso e fazer movimentos bruscos. As cicatrizes recentes são frágeis e necessitam de tempo para se tornarem resistentes;
  7. Evite expor a área afetada ao sol. Os raios solares podem escurecer a cicatriz e causar manchas roxas irreversíveis;
  8. Siga as orientações do médico e tome as medicações corretamente. Em hipótese alguma use ingredientes caseiros para acelerar a cicatrização. Esses produtos podem contaminar o local e agravar a situação.

 

Atenção! O médico dermatologista ou cirurgião plástico é quem vai indicar o melhor tratamento e passar orientações específicas para o seu caso. Seguindo as instruções do especialista, sua lesão cicatrizará rápido e de maneira que a cicatriz fique delicada e passe despercebida.

Veja alguns mitos sobre a cicatrização de feridas.

COMENTE ESTA PUBLICAÇÃO