Gripes e resfriados estão presentes na vida de todas as crianças. Porém, existem outras doenças e acontecimentos comuns que podem abalar os pequenos.

Nos primeiros anos de vida ainda estamos nos adaptando ao mundo que nos rodeia, adquirindo anticorpos e, consequentemente, ficamos vulneráveis a diversos tipos de doenças. Esse processo faz parte do crescimento e fortalecimento das crianças.

Preparamos uma lista com as doenças e problemas mais comuns na infância, algumas mais simples e outras que exigem atenção extra por parte dos pais e do médico.

 

Queimaduras em crianças

É normal as crianças explorarem a casa e tudo o que está ao seu redor. Faz parte do desenvolvimento. Porém, é preciso tomar alguns cuidados para que essa curiosidade não se transforme em acidente, como é o caso de queimaduras.

Queimaduras por líquidos quentes são as mais comuns no ambiente domiciliar. Pode acontecer da criança se apoiar na mesa ou puxar a toalha, trazendo abaixo bebidas ou alimentos quentes. A tampa do forno e as panelas no fogão são igualmente perigosas, pois podem causar queimaduras extensas.

 

Sopa quente no fogo

Queimaduras por líquidos quentes são as mais comuns dentro de casa.

 

Existem, ainda, outros tipos de queimadura, como as causadas pela temperatura incorreta da água do banho ou pela ingestão de leites e sopas muito quentes.

É importante saber identificar a queimadura, avaliando os primeiros atendimentos a serem realizados após o acidente. Veja como agir em casos de queimaduras com crianças nesse post.

 

Feridas comuns durante a infância

Nessa fase, é muito comum acontecerem tombos e alguns “ralados”. Nos casos de escoriações, é importante aliviar a dor da criança e tratar corretamente o machucado para evitar contaminações e o agravamento do quadro. Na maioria dos casos, esses são ferimentos superficiais e que cicatrizam sem complicações. Nesse post falamos sobre a forma correta de higienizar e tratar escoriações em crianças.

 

Diabetes infantil

O Diabetes em crianças pode ocorrer de duas maneiras: de forma hereditária ou adquirida. O Diabetes Tipo 1 é uma doença crônica na qual o pâncreas produz insulina em quantidade insuficiente. Esse tipo de diabetes não tem cura, apenas controle, feito por meio da aplicação de insulina, conforme orientação médica.

Já o Diabetes Tipo 2 é adquirido e pode ocorrer em crianças com hábitos pouco saudáveis. A adoção de uma alimentação equilibrada – acompanhada da prática de atividades físicas – pode diminuir e, inclusive, reverter o quadro.

 

Como tratar lesões infantis?

Caiu? Escorregou? Ralou? O primeiro passo para tratar do machucado é higienizar bem as mãos antes de iniciar o curativo. Na sequência, faça a limpeza do ferimento com água corrente e sabão neutro. Nessa fase, pode ser que a criança tente evitar que o machucado seja tocado, mas é importante insistir na limpeza para retirar as sujeiras e evitar possíveis infecções.

Depois que o ferimento estiver limpo, o ideal é cobri-lo com um curativo que irá proteger a região atingida, como a Membracel, que além de impedir a entrada de corpos estranhos, irá acelerar a cicatrização da pele.

Além disso, a Membracel isola as terminações nervosas, aliviando a dor logo após a aplicação. A membrana pode permanecer na lesão de 5 a 7 dias sem a necessidade de troca. Em lesões superficiais, uma única membrana é suficiente para a cicatrização total da pele.

 

Aplicação de curativo em lesão em criança

No caso de lesões de pele, a Membracel diminui a dor e acelera a cicatrização da pele.

 

 

Veja abaixo outras doenças e problemas comuns na infância:

 

Alergias:

Podem ser respiratórias ou de origem alimentar. As alergias alimentares, geralmente, causam dores abdominais, coceira, erupções na pele e até dificuldade respiratória. Os itens que mais causam alergias são: leite de vaca, clara de ovo, soja, trigo e peixe.

Já as alergias respiratórias podem ser causadas por ácaros, pólen de flores, poeira e pelos de animais. Podem se manifestar como rinite (coriza, espirros e congestão nasal) ou asma (quando acomete os brônquios, causando dificuldade para respirar, chiado no peito e tosse).

 

Infecção no ouvido:

Quando ocorre o acúmulo de secreção no canal auditivo, devido a gripes e resfriados ou, até mesmo, por excesso de umidade. Em bebês é preciso ficar atento a sinais como choro intenso e febre. O tratamento é feito com antibiótico.

 

Infecção na garganta:

Os principais sintomas são falta de apetite e febre alta. Pode ser adquirida de forma viral ou bacteriana. No tipo viral (comum até os 2 anos) o contágio ocorre por meio da saliva infectada ou outras secreções. Já a infecção bacteriana é comum entre 3 e 6 anos e requer o uso de antibióticos.

 

Criança com dor de garganta

A famosa “dor de garganta” pode ser adquirida de forma viral ou bacteriana.

 

Refluxo:

Ocorre quando o alimento chega ao estômago e volta para o esôfago. O refluxo está relacionado à imaturidade do sistema digestivo. O fato de, nos primeiros meses, a dieta do bebê ser apenas líquida intensifica o refluxo. Dessa forma, o problema tende a diminuir conforme os alimentos sólidos forem incluídos na alimentação.

 

Catapora:

Também conhecida como varicela, a catapora é muito comum na primeira infância. É causada por infecção viral e tem maior incidência no período entre inverno e primavera. Essa doença causa bolhas e lesões vermelhas na pele, febre baixa, cansaço, perda de apetite e mal-estar. As lesões causam coceira no período de cicatrização e isso pode deixar a criança irritada. O contágio ocorre pelo contato com saliva contaminada (tosse ou espirro) ou pelo contato direto com líquido das bolhas que se formam pelo corpo.

 

Caxumba:

É uma infecção viral caracterizada por inchaço e dor na região abaixo da mandíbula, além de febre, mal-estar e dor muscular ao engolir. O contágio também ocorre pelo contato com a saliva contaminada, por meio de tosse ou espirro. Quando a caxumba ocorre na fase adulta, as complicações podem ser mais severas.

 

Sarampo: 

Tem origem viral e é caracterizado por erupções vermelhas que surgem na pele, iniciando na cabeça e progredindo em direção aos pés. Outros sintomas são conjuntivite, coriza, febre, tosse e cansaço generalizado. É uma doença contagiosa, transmitida pelas gotículas de saliva contaminada expelidas por tosse ou espirro. O tratamento, geralmente, é baseado em combater os sintomas, fazendo uso de antitérmicos e analgésicos, aumentando a ingestão de água, mantendo uma alimentação leve e higienização dos olhos com soro fisiológico.

 

Rubéola:

Em crianças, a rubéola costuma ser tratada como doença de poucas complicações. Porém, quando acomete gestantes, a doença pode causar complicações como cegueira, surdez, retardo mental e malformações no feto. A rubéola é caracterizada por manchas vermelhas na pele, acompanhadas de sintomas como dor de cabeça, dores no corpo, febre baixa, cansaço, coriza e aparecimento de ínguas.

 

E, claro, não podíamos deixar de citar as famosas gripes e resfriados

 

Criança com gripe

Gripes e resfriados são comuns durante a infância.

 

Gripes e resfriados:

Embora parecidos, gripe e resfriado são causados por vírus diferentes, porém, a principal forma de contágio é a mesma: contato com a saliva contaminada, eliminada durante tosses e espirros. O resfriado costuma ser mais ameno, com coriza e irritação das mucosas. Já a gripe inclui febre, cansaço e dor muscular. Nos dois casos a doença regride automaticamente e, dessa forma, o tratamento é baseado em aliviar os sintomas.

 

 

É claro que nenhum pai ou mãe fica tranquilo ao ver o filho “amoadinho” e doente, mas é preciso entender que machucadinhos, gripes e resfriados fazem para do crescimento da criança e, mais do que isso, são importantes para o fortalecimento do sistema imunológico dos pequenos. O importante é sempre procurar orientação médica para avaliação do quadro e dar início o quanto antes ao tratamento correto.

 

 

 

COMENTE ESTA PUBLICAÇÃO

WhatsApp chat