Disculpa, pero esta entrada está disponible sólo en Portugués De Brasil. For the sake of viewer convenience, the content is shown below in the alternative language. You may click the link to switch the active language.

O que é urostomia?

 

 

Urostomia é a cirurgia que constrói um novo caminho para saída da urina, por meio de um estoma. Os condutos urinários são exteriorizados pela parede abdominal e a urina passa a ser eliminada constantemente por gotejamento.

A partir de então, é necessário que uma bolsa coletora fique acoplada ao estoma o tempo todo. Essa bolsa deve ser esvaziada ao longo do dia.

 

Bolsa de urostomia

A bolsa de urostomia deve ser esvaziada diversas vezes ao longo do dia

 

Nesse post vamos ver quais motivos levam à uma urostomia, quais os tipos de urostomia, como cuidar do estoma, como evitar infecções do trato urinário e dicas de cuidados com a urostomia.

 

Motivos que levam à urostomia

A urostomia é um procedimento que salva a vida de milhares de pessoas todos os anos. Mas você sabe quais motivos levam uma pessoa a precisar dessa cirurgia?

Na maioria dos casos, a intervenção cirúrgica ocorre devido à tumores, mas também pode ser necessária em casos de acidentes, má formação congênita e inflamação crônica na bexiga.

 

Em casos em que há má formação do sistema urinário, pode ocorrer o refluxo da urina, que acaba voltando aos ruins e causando infecções urinárias recorrentes. Para evitar danos aos rins (que podem, inclusive, deixar de funcionar), a urostomia é uma opção para garantir saúde e qualidade de vida ao paciente.

Pessoas com quadros severos de incontinência urinária também podem ser submetidas a urostomia pela significativa melhora de qualidade de vida que essa nova condição pode proporcionar.

 

Urostomia pode ser opção para incontinência urinária

A urostomia pode ser uma opção em casos severos de incontinência urinária

 

Aspecto do estoma saudável

Logo após a cirurgia, é normal que o estoma fique inchado e que a urina tenha coloração avermelhada. Mas fique tranquilo… Essas características devem desaparecer com o passar do tempo.

O estoma saudável é vermelho ou rosa vivo. A pele ao redor do estoma é lisa, sem lesões ou ferimentos.

 

O estoma não tem terminações nervosas e, por isso, não dói ao ser tocado. Quando for limpá-lo ou tocá-lo, podem ocorrer pequenos sangramentos. É normal, desde que o sangramento sesse naturalmente. Se o sangramento não parar ou se for abundante, o médico deverá ser avisado imediatamente.

 

Tipos de estoma de urostomia

Os estomas podem ser temporários ou permanentes. Isso varia de acordo com o motivo que levou aquele paciente a fazer a urostomia e, também, a decisão do médico.

 

– Estomas temporários:

São aqueles realizados para interromper o fluxo urinário por um determinado período. Pode ser necessário, por exemplo, quando o médico precisa evitar que a urina passe pelo local operado até que a cicatrização esteja completa. Após finalizar o tratamento, a urina volta a percorrer o caminho original e o paciente retoma a rotina de antes.

– Estomas permanentes:

Realizados quando não é possível manter a função normal do sistema urinário ou quando a urostomia permite ao paciente ter mais qualidade de vida.

 

Tipos de urostomia

Quanto aos tipos de urostomia, podemos dividi-los de acordo com a técnica utilizada. Veja abaixo:

 

1 – Urostomia de Conduto Ileal

Também chamado de Cirurgia de Bricker, é o procedimento mais comum. É feito a partir da remoção de uma pequena parte do íleo (intestino delgado), que faz o papel de um pequeno reservatório, um canal que levará urina ao meio externo.

Na sequência, o cirurgião fecha uma das extremidades desse canal e liga aos ureteres (canais que trazem a urina dos rins). A outra ponta é ligada à parede abdominal, criando o estoma.

O acúmulo de muco na urina é uma característica comum em pessoas com urostomia. Isso porque, naturalmente, o intestino produz muco e, ao passar pelo estoma, a urina acaba carregando-o.

 

2 – Urostomia de Conduto de cólon

Essa técnica é muito semelhante à descrita acima, com a diferença de que o canal, nesse caso, é retirado do cólon (intestino grosso).

Devido à pequena capacidade do reservatório criado a partir do intestino, a urostomia não permite o armazenamento interno da urina. Assim, a urina segue para o estoma o tempo todo, sendo armazenada pela bolsa coletora.

 

É importante salientar que a retirada de pequenos trechos dos intestinos delgado ou grosso não prejudica o paciente. O intestino delgado, por exemplo, tem cerca de 6 metros e, portanto, o pequeno pedaço retirado pelo cirurgião não afeta a função intestinal. O cirurgião reconecta o intestino, que continua funcionando como antes.

 

3 – Uretorostomia

Opção mais rara, a ureterostomia conecta o ureter diretamente à parede abdominal, criando o estoma. O médico pode optar pela exteriorização de um ou ambos ureteres.

Esse tipo de cirurgia é pouco indicado, pois é frequentemente associado a complicações, como estenoses (quando o estoma se torna mais estreito, a ponto de obstruir). Geralmente, são estomas temporários.

 

Evitando Infecções do Trato Urinário

Esse é o tipo de complicação tira o sono de muitas pessoas que passaram pelo procedimento de urostomia. Porém, as Infecções do Trato Urinário (ITU) podem ser prevenidas com hábitos simples.

Veja alguns deles:

     – Mantenha boa ingestão hídrica. Beba, no mínimo, de 6 a 8 copos de água todos os dias.

     – Esvazie a bolsa regularmente. É preciso manter esse cuidado, inclusive, durante a noite.

     – Use válvulas anti-refluxo para evitar que a urina coletada na bolsa volte para o estoma.

     – Ao menor sintoma de infecção, procure seu médico. Fique atento a sinais como febre, náuseas, vômito, dor nas costas, alteração na cor ou cheiro da urina.

 

Beber água é essencial para urostomizados

Manter o organismo hidratado é essencial para evitar infecções

 

 

Quer mais dicas sobre urostomia?

1 – A urostomia provoca mudanças no funcionamento do organismo e é normal sentir dificuldades no período de adaptação. Tenha em mente que, com alguns cuidados, é possível ter uma vida normal, retomando sua rotina e atividades diárias.

2 – Atenção especial com a pele ao redor do estoma. A urina pode irritar a pele e, portanto, é muito importante protegê-la. O Spray de Barreira forma uma camada protetora que evita que o contato com a urina machuque a pele periestoma.

3 – Se perceber sinais de irritação na pele, procure seu médico ou enfermeiro estomaterapeuta. Ele poderá avaliar o seu quadro e indicar o melhor tratamento para que a pele volte a ficar íntegra e saudável.

4 – Alguns alimentos podem causar odor na urina. É o caso de frutos do mar, ovos, feijão, cebola e vegetais como repolho, couve-flor e brócolis. Por outro lado, outros alimentos são muito eficientes para combater os odores, como salsinha, iogurte natural e soro do leite.

COMENTE ESTA PUBLICACIÓN