2908 Lesões e emocional

O surgimento de uma ferida crônica (de longa duração), além de estar diretamente relacionado à saúde da pessoa, pode comprometer muito sua condição psicológica e social, pois muitas vezes afasta o indivíduo do trabalho, da família e do convívio social. O estado emocional tem grande influência na recuperação de doenças e lesões, já que o tratamento de uma ferida crônica pode ser longo e muitas vezes doloroso.

Esconder o surgimento de uma ferida e não tratá-la adequadamente pode trazer consequências graves, sobretudo em pacientes idosos, diabéticos e com problemas circulatórios, aumentando a dor e agravando o quadro. Mas por que esconder a ferida? Principalmente por vergonha dos familiares e receio de que se afastem, além do medo do tratamento ou de sentir dor. Nesses casos, ao contrário do que se indica, o tratamento é iniciado quando o ferimento já está avançado, muito extenso ou com forte odor.

Mascarar a ferida é uma péssima escolha, pois pode agravar o quadro, fazendo com que a lesão se torne crônica e retardando a cicatrização. Em casos mais graves, as consequências podem ser ainda piores, acarretando em infecções, contaminações por bactérias multirresistentes ou até mesmo na necessidade de amputação do membro ou parte dele. Por isso, é indicado que os familiares estejam atentos às mudanças de comportamento, principalmente de pessoas idosas e acamadas.

Para o tratamento de feridas crônicas, a membrana regeneradora porosa tem se mostrado muito eficaz, uma vez que reduz a dor logo nas primeiras aplicações, acelera o processo cicatricial e não necessita trocas diárias do curativo primário. Esses fatores, aliados à percepção de melhora, tranquilizam o paciente e aumentam sua confiança, auxiliando para o sucesso no tratamento e recuperação completa do paciente.

COMENTE ESTA PUBLICAÇÃO