As lesões de pele podem surgir por diversos motivos, como, por exemplo, pela existência de doenças crônicas ou fatores de risco (obesidade e tabagismo). Doloridas e de difícil cicatrização, a maioria das feridas crônicas ocorrem nos membros inferiores, principalmente na região da canela (maléolos) e nos pés. Analisando um panorama geral, pode-se afirmar que grande parte dos casos de lesões de membros inferiores é causada por conta de problemas na circulação sanguínea, como no caso de úlceras arteriais e venosas.

pernas femininas feridas

Por que elas surgem?

A circulação sanguínea funciona da seguinte forma: o sangue sai do coração e é distribuído por meio das artérias. Depois que todo o corpo foi abastecido com sangue rico em nutrientes e oxigênio, as veias retornam o sangue para o coração após as impurezas terem sido filtradas. Quando ocorre a obstrução das artérias e arteríolas por placas de gordura, o sangue rico em nutrientes e oxigênio não consegue chegar às extremidades dos membros inferiores, resultando na morte celular. Com a morte das células, pode ocorrer o aparecimento espontâneo de uma ferida ou, como a pele da região fica fragilizada, qualquer pequeno trauma pode ocasionar ferimentos de difícil cicatrização. Regiões expostas e com proeminência óssea (maléolos, laterais dos pés, canelas e dedos) ficam mais vulneráveis e suscetíveis ao aparecimento de feridas. Se não tratadas corretamente, as lesões podem evoluir e gerar graves consequências, podendo, inclusive, resultar na amputação do membro.

Além da má circulação sanguínea, as lesões de membros inferiores podem ocorrer, também, em decorrência do diabetes não controlado. Além da pele do diabético ser mais fina e frágil, o comprometimento do sistema nervoso periférico leva à diminuição da sensibilidade protetora dos pés, conhecida como neuropatia. Ou seja, em muitos casos, o diabético não sente dores e não percebe pequenos cortes e arranhões. Quando repara que algo está errado, a ferida já está extensa e em estágio avançado, o que favorece processos infecciosos, gangrenas e amputações. Muitas das feridas são causadas por espinhos, pedras, objetos cortantes, pregos ou até mesmo pela utilização de um calçado apertado.

Há, ainda, outras situações que podem levar a lesões nos membros inferiores. Veja algumas delas abaixo:

  • Doença falciforme (ou anemia falciforme): é uma doença genética caracterizada por uma alteração nos glóbulos vermelhos, que adquirem aspecto de foice, perdendo a forma elástica e arredondada. Esse novo formato dificulta a oxigenação dos tecidos e a passagem do sangue por vasos menores. Com a circulação sanguínea comprometida, pode haver o surgimento de feridas.
  • Erisipela: é uma infecção não contagiosa que resulta em bolhas e feridas avermelhadas. Também causa inflamação, inchaço e muita dor no local afetado. As pernas são um dos locais mais comuns para o surgimento. Essa infecção é causada pela bactéria Streptcoccus pyogenes, que entra no organismo, geralmente, por meio de micoses, frieiras ou outros ferimentos nos pés. Se não tratada no início, pode evoluir para abscessos, feridas profundas e trombose. O tratamento é feito com base em antibióticos para eliminar a bactéria e curativos especiais para cicatrizar a lesão e fechar a porta de entrada da bactéria.
  • Traumas: nesse caso, as feridas podem ter sido causadas por acidentes, quedas ou batidas. Apesar de não ter relação direta com nenhuma doença pré-existente, necessitam igualmente de acompanhamento médico para orientação do tratamento correto.

COMENTE ESTA PUBLICAÇÃO