Conviver com uma colostomia pode não ser tarefa fácil no início, mas, aos poucos, acostuma-se com a rotina da bolsa. Além disso, as tecnologias para ostomizados estão evoluindo e, cada vez mais, melhoram o conforto e a qualidade de vida dessas pessoas.

O oclusor é uma dessas tecnologias. A possibilidade de usar um dispositivo como esse permite que o ostomizado se sinta mais livre e confortável para realizar as atividades do dia a dia.

 

O que é?

O oclusor é um tipo de tampão flexível e descartável desenvolvido para controlar a eliminação de fezes. Aliado à irrigação, o oclusor permite a continência intermitente da colostomia. Ou seja, a irrigação possibilita o controle do fluxo intestinal e o oclusor oclui a colostomia junto ao abdômen, proporcionando mais liberdade para o ostomizado.

A combinação irrigação + oclusor permite que o colostomizado tenha uma continência entre 24 e 72 horas. É uma forma de treinar o intestino para funcionar em períodos pré-estabelecidos. Quando bem instruído e com orientação médica, o ostomizado pode, inclusive, realizar o procedimento por conta própria sem dificuldades.

Oclusor para colostomia

 

Quem pode usar?

Infelizmente, essa técnica não se aplica a qualquer tipo de ostomia. Apenas podem realizar a irrigação (acompanhada do uso de oclusores) pessoas com colostomia terminal de apenas uma boca, localizada no cólon descendente ou sigmoide (hemicólon esquerdo).

Além disso, alguns outros pré-requisitos são: colostomia sem complicações, diâmetro externo do estoma entre 20 e 45mm e altura (protusão) de até 25mm, até três eliminações de fezes (pastosas ou sólidas) ao dia e boas condições gerais para autocuidado.

 

Como usar?

Após a irrigação (falamos nesse post como deve ser feito o processo de irrigação), o oclusor deve ser inserido no estoma assim que a eliminação intestinal acabar. O período de intervalo entre a eliminação das fezes deverá aumentar conforme o treinamento intestinal for evoluindo, podendo chegar a até 72 horas.

Importante: o resultado da irrigação e o tempo de permanência do oclusor podem ser influenciados por fatores como dieta, consistência das fezes e quantidade de gases intestinais formados. Portanto, é imprescindível manter uma alimentação saudável, ingerindo alimentos de fácil digestão e evitando aqueles que aumentam a produção de odores ou o excesso de gases, como feijão, repolho e brócolis.

Os principais benefícios do procedimento de irrigação aliado ao oclusor são:

  • Diminuição de volume, se comparado à bolsa coletora;
  • Melhora do aspecto higiênico;
  • Controle do odor;
  • Mais segurança e conforto para as atividades íntimas;
  • Liberdade de movimentação;
  • Aumento da independência e da autoestima.

Pode ser que, no início, o ostomizado apresente dificuldades de adaptação à utilização do oclusor. Porém, tendo em vista a independência que o dispositivo proporciona, a adaptação é questão de tempo.

 

 

Posso usar o Spray de Barreira em oclusores?

A cola do sistema oclusor (localizada na superfície externa) permite que o item fique fixo ao estoma, dando segurança de que nenhum acidente ocorra pelo extravasamento inesperado de fezes. Porém, o fato de colar e descolar o oclusor com certa frequência – para troca do dispositivo – pode acabar deixando a pele sensível e suscetível a lesões.

Portanto, nesses casos, a utilização do Spray de Barreira passa a ser importante, já que o produto forma uma barreira que protege a pele por até 72h. Ou seja, a aplicação do Spray de Barreira, antes de fixar o oclusor à pele, evita que o cola-e-descola do adesivo cause irritações ou feridas na pele. Ajuda, ainda, a proteger contra possíveis infiltrações.

COMENTE ESTA PUBLICAÇÃO

WhatsApp chat