As tão sonhadas férias chegaram e a criançada está ansiosa para gastar energia com brincadeiras e atividades. Além das férias, o mês de julho traz o friozinho do inverno, o que exige que as atividades sejam realizadas em locais fechados e mais quentes. É aí que entra o problema… Crianças cheias de disposição dentro de casa exigem cuidados redobrados (ou até “triplicados”) para evitar acidentes e machucados mais graves.

 

Separamos algumas dicas para garantir que as crianças de divirtam de forma sadia e segura.

 

1 – Lugar de criança NÃO é na cozinha!

Os meses de junho e julho são famosos pelo aumento de acidentes com crianças envolvendo queimaduras. Isso porque, nesse período, consumimos mais bebidas quentes e sopas e a utilizamos lareiras e aquecedores. Veja abaixo como evitar esse tipo de acidente:

      Não permita a entrada das crianças à cozinha enquanto estiver cozinhando e, sempre que estiver com panelas no fogo, mantenha os cabos virados para dentro;

     – Jamais cozinhe ou passe café com criança no colo. São inúmeros os casos em que o coador de café vira e acaba derramando a água quente na criança;

      Evite utilizar toalhas na mesa. Pode acontecer de a criança puxar ou enroscar na toalha, trazendo abaixo os alimentos quentes dispostos sobre ela;

     – Sempre que o forno estiver ligado, um adulto precisa estar por perto. Crianças são curiosas e podem se queimar ao tentar ver o que está assando;

      Proteja tomadas e cabos de energia. Choques elétricos também podem causar graves queimaduras.

 

Criança se pendurando no fogão

 

Saiba como agir em casos de queimaduras.

 

2 – Outros ambientes de risco

Além da cozinha, outros ambientes podem apresentar alto risco de queda e afogamento, como o banheiro e a lavanderia. Muita atenção, também, com escadas e janelas. Portões que impedem o acesso à escadas e telas de proteção são essenciais nesses casos.

 

3 – Armários trancados

Fósforos, isqueiros, produtos inflamáveis, remédios, produtos tóxicos, ferramentas e objetos cortantes devem SEMPRE estar fora do alcance das crianças e armazenados em locais trancados.

 

4 – Cuidado com água

Nunca deixe crianças sem supervisão próximas a piscinas e banheiras. No caso de crianças pequenas, pias, banheiras e recipientes com água em geral são extremamente perigosos (inclusive baldes!). Guarde sempre esses recipientes virados para baixo.

 

5 – Na rua

O caminho até parques e praças deve sempre ser supervisionado por um adulto. Poucos segundos de descuido podem resultar em atropelamentos ou acidentes envolvendo veículos.

Criança correndo na rua

 

6 – No parque

Sempre que chegar ao parque, é importante supervisionar brinquedos e equipamentos, avaliando se não têm avarias e se estão em perfeito estado. Brinquedos quebrados ou enferrujados podem causar cortes e quedas graves.

 

7 – Brinquedos

Respeite a faixa etária indicada nos brinquedos. Algumas situações podem oferecer riscos para crianças menores, como engasgo por peças pequenas.

 

8 – Objetos pequenos

Evite brinquedos com peças pequenas e não permita o acesso a pilhas, moedas e outros objetos pequenos que podem ser inalados ou ingeridos. Situações como essas podem causar engasgos, sufocamento e graves lesões no aparelho digestivo.

Criança brincando com peças de montar

 

9 – Equipamentos de proteção

Quando a brincadeira for bicicleta, patins, skate ou patinete, é indispensável utilizar capacete e protetores para joelhos e cotovelos.

 

Veja também como cuidar dos famosos ralados e arranhões.

 

10 – Dica principal

A dica mais importante é: vigilância. Estar sempre de olho nas crianças e acompanhando as brincadeiras ajuda a evitar todos os tipos de acidentes. O ideal é criar ambientes seguros e que estimulem a imaginação e diversão dos pequenos. Aproveite esse período para participar das brincadeiras e estreitar os laços com os pequenos.

COMENTE ESTA PUBLICAÇÃO

WhatsApp chat