O ambiente domiciliar pode apresentar diversos perigos para quem tem crianças em casa. O cômodo campeão de acidentes, sem dúvidas, é a cozinha, que além de conter objetos de alto risco, proporciona inúmeras ocorrências de queimaduras.

 

Principais causas de queimaduras

De acordo com especialistas, o tipo de acidente acompanha a curiosidade, a idade e o desenvolvimento dos pequenos. Por exemplo, quando o bebê começa a engatinhar e a explorar a casa, a forma mais comum de queimadura é devido a fios expostos e tomadas sem proteção.  Na fase em que já fica em pé (com ou sem apoio), pode acontecer da criança puxar a toalha da mesa, trazendo abaixo bebidas ou alimentos quentes. Sem falar na tampa do forno e, principalmente, panelas no fogão, que resultam em graves e extensas queimaduras.

É importante alertar, também, sobre as queimaduras mais leves, que também necessitam de cuidado e atenção, como, por exemplo, as queimaduras causadas pela alta temperatura da água do banho ou pela ingestão de leites, caldos e sopas quentes demais.

Mesmo com todo cuidado e atenção, os acidentes podem acabar acontecendo. Por isso, é importante saber como agir em situações como essa, já que a identificação do grau da queimadura e os primeiros atendimentos são essenciais para garantir a recuperação da pele.

 

O que fazer em caso de queimadura?

Quando se trata de crianças, a principal orientação é: mantenha a calma! É importante transmitir calma para que o pequeno também se tranquilize e torne possível o primeiro atendimento. Na sequência, interrompa o processo de queimadura, colocando o membro afetado de baixo de água corrente, em temperatura ambiente (nunca aplique água gelada ou gelo! Isso pode agravar ainda mais a lesão). Essa ação fará com que a pele afetada seja resfriada e a ardência diminua. Na sequência, identifique o grau da queimadura e prossiga com o atendimento indicado.

 

Como identificar o grau da queimadura?

As queimaduras de pele são classificadas conforme sua complexidade e o comprometimento da área afetada. Podem ser classificadas como queimaduras de primeiro, segundo ou terceiro graus, sendo que cada uma delas exige cuidados específicos. Veja abaixo:

  • 1º grau: são lesões superficiais que tem como característica vermelhidão, inchaço e dor (de leve a moderada). Nesses casos, não há surgimento de bolhas e a pele não se desprende. Após a cicatrização, a pele pode ficar um pouco escura, voltando à coloração normal em algum tempo.
  • 2º grau: esse tipo de queimadura acomete a epiderme (camada superficial da pele) ou a derme (segunda camada da pele). Nesses casos, é comum o surgimento de bolhas ou o desprendimento parcial ou total da pele, ocasionando dores mais intensas.
  • 3º grau: são lesões mais graves que causam a destruição total de todas as camadas da pele, podendo, inclusive, ser fatais. Apesar disso, são as que menos doem, pois, de tão profundas, danificam as terminações nervosas e diminuem a sensibilidade. A região afetada pode adquirir coloração esbranquiçada ou escurecida. Esse tipo de queimadura deixa cicatrizes e, dependendo do local afetado, pode comprometer a movimentação do membro em questão.

 

Tratamentos

Em queimaduras de 2º e 3º grau é importante procurar ajuda médica devido à gravidade das lesões. A avaliação do profissional de saúde é imprescindível para orientação do tratamento correto, já que cada caso é um caso. Veja abaixo qual o tratamento mais indicado para cada situação.

  • 1º grau: Esse grau de queimadura não necessita de atendimento médico e, geralmente, melhora entre 3 e 6 dias. Para auxiliar a regeneração da pele, é indicado manter o organismo hidratado, ingerindo, ao menos, 2 litros de água por dia.
  • 2º grau: O tratamento é realizado por meio da limpeza, remoção das bolhas e tecidos desvitalizados e proteção da área lesionada. Todas essas etapas são realizadas pelo profissional de saúde. Por isso, é necessário procurar atendimento médico. Para esse tipo de queimadura, a Membrana Regeneradora Porosa é altamente indicada, pois mantém a umidade natural da lesão e favorece as trocas gasosas. Esses fatores dão suporte para a formação do tecido de granulação, tornado a cicatrização da pele mais rápida.
  • 3º grau: A criança deve ser encaminhada imediatamente ao pronto atendimento. O tratamento de queimaduras de 3º grau é bastante complexo e demorado, necessitando de internamento, enxertia e até cirurgia plástica.

 

Dicas gerais

  • Em hipótese alguma utilize produtos caseiros em queimaduras ou qualquer outra lesão de pele. Margarina, café, pasta de dentes e outros itens podem dificultar a avaliação do profissional de saúde e, ainda, infectar a lesão, complicando a cicatrização;
  • Nunca estoure as bolhas que venham a aparecer e jamais tente puxar ou retirar pedaços de tecido ou plástico que estejam colados à pele;
  • O tratamento pode variar de acordo com a causa da queimadura (fogo, escaldamento, líquido inflamável, etc), a região do corpo afetada e a idade da vítima. Por isso, a avaliação do profissional de saúde é essencial para a escolha correta do tratamento;
  • Se a área atingida pela queimadura for o rosto, as mãos, a região genital ou uma superfície maior do que a palma da mão da criança, leve-a com urgência ao pronto atendimento;
  • Mesmo que a queimadura seja superficial e pequena, é importante observar a evolução da cicatrização e estar sempre atento para que a lesão não se agrave.

 

Como usar Membracel?

A aplicação é realizada após a limpeza e desbridamento das bolhas (se necessário). A membrana é acomodada na lesão e hidratada com soro fisiológico em jato. A Membracel ajuda a manter a umidade natural da região, contribuindo para a formação do tecido de granulação – etapa essencial para a reepitelização – e tornando o processo de cicatrização mais rápido.

A Membrana Regeneradora Porosa Membracel não necessita de trocas diárias, o que diminui consideravelmente os desconfortos causados pelas trocas de curativos. A Membracel é aplicada nas regiões onde há a falta da pele e, na maioria dos casos, a utilização de uma única membrana é suficiente para a cicatrização total da pele. Como o tempo de tratamento é acelerado, os custos também são menores.

 

10 dicas para evitar acidentes com queimaduras?

  1. Evite utilizar toalhas de mesa compridas. Elas podem ser puxadas, derrubando líquidos e alimentos quentes sobre a criança;
  2. Cozinhe nas bocas de trás do fogão e sempre deixe os cabos das panelas virados para trás;
  3. Não mexa nas panelas ou manipule líquidos quentes quando estiver com a criança no colo;
  4. Em festas sazonais (como Festas Juninas), nunca permita brincadeiras com fogueiras, balões ou fogos de artifício;
  5. Armazene todos os produtos inflamáveis em locais altos e trancados;
  6. Antes do banho, teste a temperatura da água da banheira ou do chuveiro com o cotovelo ou o dorso da mão. A temperatura ideal é 37ºC;
  7. Da mesma forma, teste a temperatura dos alimentos e líquidos da mamadeira antes de oferecê-los à criança;
  8. Verifique o estado das instalações elétricas (fios desencapados são altamente perigosos). Além disso, proteja as tomadas com tampas apropriadas, fita isolante ou cubra-as com móveis;
  9. Quando acender velas, utilize um prato fundo de vidro, com um pouco de água no fundo. Nunca deixe fósforos, isqueiros e qualquer outra fonte de energia ao alcance dos pequenos;
  10. Procure conscientizar as crianças quanto aos perigos das queimaduras, mostrando quais atitudes podem prevenir os acidentes.

COMENTE ESTA PUBLICAÇÃO

WhatsApp chat