cigarro_baixa

No último post falamos sobre a importância da alimentação equilibrada para acelerar a cicatrização de feridas de pele. Por definição, as feridas são uma interrupção na continuidade da pele. São causadas por traumas, acidentes, cirurgias ou desencadeadas por alguma doença. Podem ser agudas, superficiais e de simples tratamento ou podem ser consideradas crônicas, com maior dificuldade de cicatrização e reincidência. Na maioria dos casos, as feridas são tratadas e a pele cicatriza, voltando ao estado normal.

O tratamento é realizado com medicamentos tópicos e curativos indicados pelo profissional de saúde de acordo com o tipo de lesão. Alguns fatores também podem afetar a cicatrização. Entre eles estão a infecção da ferida – nesse caso a cicatrização tem que disputar os fatores imunológicos com a infecção – e a oxigenação do tecido, já que uma circulação deficiente reduz o fornecimento de oxigênio aos tecidos desacelerando a cicatrização.

Além disso, a idade avançada, alguns tipos de medicamentos e o cigarro também podem prejudicar a cicatrização. “O avanço da idade diminui a velocidade metabólica celular. Acima dos 60 anos, é comum o surgimento de disfunção vascular, diabetes e aumento dos níveis de colesterol e triglicerídeos. E, em relação às drogas, anti-infamatórios corticoides, quimioterápicos e a nicotina podem influenciar no processo cicatricial por diminuírem a resposta imunológica normal”, explica o enfermeiro estomaterapeuta – especialista em feridas – da Membracel, Antonio Rangel

COMENTE ESTA PUBLICAÇÃO

WhatsApp chat