A Membrana Regeneradora Porosa Membracel pode ser utilizada em qualquer situação em que ocorra a perda da pele, seja em lesões superficiais ou profundas. Por conter poros, a Membrana favorece as trocas gasosas, mantendo a umidade natural da região. Esses fatores colaboram para a formação do tecido de granulação, que é a fase inicial e essencial do processo de reepitelização. Dessa forma, a Membracel acelera a cicatrização da pele, diminuindo o tempo e os custos com o tratamento.

Enfermeiro aplicando Membracel no braço

É importante ressaltar que a Membracel não necessita de trocas diárias. No início do tratamento, a membrana pode permanecer na lesão entre 5 e 7 dias. O tempo de permanência vai aumentando de acordo com a evolução do tratamento, podendo chegar a 12 dias, se não houver sinais de infecção, mau cheiro ou contaminação. Em muitos casos, uma única membrana é necessária até que a lesão esteja 100% cicatrizada.

Veja abaixo algumas situações em que a Membracel pode ser utilizada:

Úlceras vasculares: úlceras venosas e arteriais são lesões de difícil cicatrização, que, muitas vezes, levam anos para serem curadas. A Membracel pode ser associada à terapia medicamentosa (para regularização da circulação sanguínea) e a métodos compressivos – quando indicados. Após aplicação, é importante limpar diariamente a área afetada sem retirar a membrana. Aplique soro fisiológico em jato e, com o auxílio de uma gaze, pressione levemente a membrana para drenar o exsudato que pode estar por baixo da membrana. Na sequência, faça o curativo secundário com gaze, faixa e fita microporosa. Esse curativo serve para absorver a secreção da lesão e deve ser trocado diariamente ou sempre que estiver saturado (úmido).

Feridas diabéticas: um dos resultados do diabetes não controlado é a falta de sensibilidade nos nervos periféricos. Nesses casos, o diabético acaba não percebendo pequenos machucados, as lesões evoluem e se tornam de difícil cicatrização. A Membracel apresenta excelentes resultados na cicatrização de feridas de diabetes.  É importante que tanto o diabético quanto a família fiquem atentos a qualquer pequeno corte ou ferida nos pés. Inspecionar os pés diariamente, além de higienizar cautelosamente, é essencial para evitar o surgimento de novas lesões.

Queimaduras: o uso da Membracel em queimaduras de segundo grau é muito difundido, pois a membrana diminui a dor na região lesionada por meio da proteção dos terminais nervosos. Clinicamente, as queimaduras de segundo grau são consideradas superficiais e, nesses casos, uma única aplicação da Membracel é suficiente. A aplicação deve ocorrer após a limpeza da região afetada e já na sequência do acidente. Um curativo secundário, com gaze absorvente, deve ser sobreposto à membrana para que absorva o excesso de exsudato (secreção). Troque a gaze a cada dois dias ou sempre que estiver saturada (úmida), limpando a lesão com soro fisiológico sem retirar a membrana. Geralmente, a cicatrização total da lesão ocorre entre 10 e 14 dias.

Epidermólisebolhosa: a epidermólisebolhosa é uma doença genética rara que causa bolhas e lesões na pele em resposta a qualquer atrito (até mesmo a etiqueta da roupa pode machucar a pele). A Membracel tem sido utilizada para cicatrizar as feridas que surgem por causa da doença. Como a pele do portador é muito delicada, alguns cuidados extras são necessários. Após a aplicação, a membrana pode adquirir uma cor amarelada. Essa alteração faz parte do processo de cicatrização, pois a membrana entra em contato com a parte úmida da ferida (exsudato). Sempre que for retirar a Membracel, umedeça-a com soro fisiológico. Tentar retirar a membrana seca pode machucar a pele, fazendo com que a lesão volte à fase inicial. Em algumas situações, não é necessária a aplicação do curativo secundário, porém, é importante aparar as pontas que ficam para fora da área da lesão para que a membrana não seja puxada acidentalmente.

Lesões por pressão (escaras): as lesões por pressão surgem em pessoas com mobilidade reduzida, geralmente acamadas ou cadeirantes. A falta de movimentação e a pressão constante em pontos de proeminência óssea (calcanhares, região sacral, maléolos, etc.) afeta a circulação sanguínea e faz com que surjam feridas. A Membracel é indicada para lesões por pressão de vários graus de profundidade e comprometimento tecidual. A membrana favorece a formação do tecido de granulação para preenchimento da cavidade e, sequencialmente, a cicatrização da ferida. Em feridas profundas, é necessário que a membrana esteja em contato permanente com todo o leito da lesão. Para isso, após aplicação da Membracel, pode ser necessário preencher a cavidade da lesão com gaze. Em lesões na região sacral (acima do cóccix) é preciso cuidar para que não haja entrada de fezes ou urina no leito da ferida. Se isso ocorrer, é necessário substituir a membrana e fazer a limpeza cautelosa da ferida.

A Membracel pode, ainda, ser utilizada em outros casos, como escoriações, cauterização, áreas doadoras ou receptoras de enxerto cutâneo ou qualquer outra situação em que ocorra a falta da pele.

COMENTE ESTA PUBLICAÇÃO